quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Casa Valduga

Uma das mais tradicionais vinícolas brasileiras, a Casa Valduga, de Bento Gonçalves (RS), vai acelerar a internacionalização da produção de vinhos iniciada em 2002 com a elaboração de um varietal malbec na Argentina. Denominada "Mundvs", a linha será ampliada em abril com o lançamento de um cabernet sauvignon produzido no Chile e, ainda em 2009, com um corte elaborado em Portugal, informou a diretora comercial da empresa, Juciane Casagrande.

Segundo a executiva, a estratégia da vinícola é casar a "fidelidade" dos consumidores à marca com o apelo dos produtos importados, que dominam quase 75% do mercado brasileiro de vinhos finos de acordo com os dados da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra).

Juciane conta que a crise econômica e a valorização do dólar não desencorajam a empresa a tocar o projeto, até porque todos os importados são afetados pela variação cambial. Em 2008 as vendas totais da vinícola devem aumentar 15% sobre o ano passado, para 1 milhão de garrafas. Só os espumantes cresceram 25%, para 400 mil garrafas, e ampliaram a participação sobre o volume global de 37% para 40%.

Fonte: Sergio Bueno, Jornal Valor Econômico. 

2 comentários:

luis henrique disse...

Sera q o vinho nacional , não tem mais mercado por culpa do preço???, eu tenho certeza q o problema esta ai, preço alto em comparação ao vinho importado, oq precisa ser feito é a popularização da bebida, ao contrario do q ocorre hj, onde são lançados bons vinhos mas com preços proibitivos

um abraço

luis henrique
xiquento@hotmail.com

Rubén disse...

É o preço é um fator importante. Lembre-se que no Brasil, o vinho é considerado "bebida alcoólica", quuando em outros países, é um complemento alimentar. Então o produtor paga muitos impostos, isto encarece o vinho.

Abraços,

Rubén Duarte