sexta-feira, 11 de abril de 2008

Hoje, a riqueza é financeira

Continuando com os comentários do economista Marcio Pochmann, ele diz que a concentração da renda em quatro capitais (SP,RJ,BH e Brasília) ocorre porque a dinâmica dessas cidades está vinculada a riqueza financeira, o que atrai os diversos tipos de profissionais com boa renda e os moradores ricos.
- Tem rico no Nordeste?
Tem. Mas já é uma riqueza antiga, vinculada à terra. O estudo identifica também uma superelite, composta por 5 mil famílias, que teriam um patrimônio correspondente a 40% do PIB.
Até o século XIX, a riqueza era muito mais agrária, baseada na posse da terra e de escravos. No século XX, o processo de enriquecimento ficou muito mais dependente do meio urbano e industrial e, do anos 1980 para cá, esse processo é mais baseado na valorização financeira.
É por isso que, nas últimas duas décadas, no Brasil, apesar do pequeno crescimento econômico, houve o aumento da quantidade de ricos (de 507 mil famílias ricas em 1980 para 1,16 milhão em 2000) e de suas posses. Isso foi possível porque o fator potencializador da riqueza foi o sistema financeiro e não a produção.
Atlas da Exclusão Social - os ricos no Brasil (Cortez Editora,2004)
Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento e Solidaridade de São Paulo.

Nenhum comentário: